USS Sampson (DD-63)

USS Sampson (DD-63)



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

USS Sampson (DD-63)

USS Sampson (DD-63) era o nome do navio da classe de contratorpedeiros Sampson, e operou de Queenstown durante a Primeira Guerra Mundial, antes de ajudar a apoiar o primeiro vôo transatlântico bem-sucedido após a guerra.

o Sampson foi nomeado em homenagem a William Thomas Sampson, um oficial da Marinha dos EUA durante a Guerra Civil Americana que ascendeu a um alto posto após a guerra, servindo como Chefe do Bureau of Ordnance desde 1893, comandante do encouraçado USS Iowa de 1897, chefe do conselho que investigou a perda do encouraçado Maine e comandante da Estação do Atlântico Norte no início da Guerra Hispano-Americana de 1898. Ele derrotou a frota espanhola na batalha de Santiago (1º de junho de 1898) e encerrou sua carreira como contra-almirante.

o Sampson foi estabelecido em 21 de abril de 1915, lançado em 4 de março de 1916 e comissionado em 27 de junho de 1916 com o Comandante B.C. Allen como seu primeiro comandante. Ela se juntou à Divisão 9 da Atlantic Destroyer Force e teve tempo para seu cruzador shakedown e algum treinamento antes da entrada dos EUA na Primeira Guerra Mundial em abril de 1917. Em maio, ela fez parte da escolta de um comboio que se dirigia dos EUA para Queenstown via Halifax e ela chegaram à sua nova base na Irlanda em 25 de maio de 1917. Após uma breve pausa impressionante enquanto dois projetores de carga de profundidade britânicos eram instalados em sua popa, ela começou a trabalhar em combate em 29 de maio. Ela foi usada para escolta de comboio e patrulhas anti-submarinas.

o Sampson resgatou dois barcos cheios de sobreviventes da SS Monarca Inglesa em 18 de junho de 1917, e o capitão e 30 outros sobreviventes da SS Elele em 18-19 de junho de 1917. Embora ela não estivesse envolvida em nenhum ataque bem-sucedido a submarinos, ela participou de uma série de ataques a possíveis alvos durante seu tempo no teatro de guerra.

Em 12 de dezembro de 1918, o Sampson fazia parte da frota que deu as boas-vindas ao presidente Woodrow Wilson quando ele chegou a Brest. Ela então voltou para sua base em Queenstown, antes de partir para os Estados Unidos em 26 de dezembro.

Qualquer pessoa que serviu nela entre 24 de maio de 1917 e 11 de novembro de 1918 qualificou-se para a medalha da vitória da Primeira Guerra Mundial.

Ela passou um curto período no Estaleiro da Marinha de Nova York no início de 1919, e então se juntou à 4ª Divisão, 2ª Flotilha da Força de Destruidores. Ela estava baseada na Naval Torpedo Station, Newport, Rhode Island. Ela foi então usada para ajudar em testes experimentais de novos torpedos e minas. Em maio de 1919, ela foi selecionada como um de uma série de navios de resgate que fizeram a rota do primeiro vôo transatlântico bem-sucedido, feito por um vôo de aeronaves NC da Marinha.

Entre dezembro de 1919 e fevereiro de 1921 ela foi preparada para a desativação, e em 15 de junho de 1921 ela foi desativada em Philadelpha. Ela não participou da Era da Proibição 'Rum Patrol'. Em 17 de julho de 1935 ela foi selecionada para sucata sob os termos do Tratado Naval de Londres, ela foi eliminada em 7 de janeiro de 1936 e vendida para sucata em 8 de setembro de 1936.

Deslocamento (padrão)

1.100 t

Deslocamento (carregado)

1.225 t

Velocidade máxima

29,5kts a 17.500shp (design)
29,57 kts a 17.964 shp a 1.135 t toneladas em teste (Rowan)

Motor

Turbinas Curtis de 2 eixos
4 caldeiras

Faixa

Armadura - cinto

- área coberta

Comprimento

315 pés 3 pol.

Largura

29 pés 10 pol.

Armamentos

Quatro armas 4in / 50
Duas armas AA de 1 libra
Doze torpedos de 21 polegadas em quatro montagens triplas

Complemento de tripulação

99

Lançado

4 de março de 1916

Comissionado

27 de junho de 1916

Vendido para sucata

8 de setembro de 1936

Livros sobre a Primeira Guerra Mundial | Índice de assuntos: Primeira Guerra Mundial


USS Sampson (DD-63) - História

O Stethem (DDG 63) é o 13º navio dos destróieres de mísseis guiados DDG 51 Arleigh Burke e o sexto a ser construído pela Ingalls Shipbuilding Division das Litton Industries em Pascagoula, Mississippi. A construção de Stethem começou em Ingalls em 18 de maio de 1992, e a quilha do navio foi colocada 11 de maio de 1993. Foi lançado em 17 de junho de 1994 e foi batizado 16 de julho pela Sra. Patricia L. Stethem, mãe do homônimo do navio, Steelworker 2ª Classe Robert Dean Stethem, que estava voltando de uma missão no Oriente Médio, quando foi feito refém a bordo de um avião comercial TWA 847. O vôo foi sequestrado por terroristas, e Stethem foi morto a tiros após ser torturado pelos terroristas em 14 de junho de 1985. Por seu heroísmo, ele foi postumamente condecorado com o Coração Púrpura e a Estrela de Bronze.

21 de outubro de 1995 O USS Stethem foi comissionado durante uma cerimônia em Port Hueneme, Califórnia. O navio será transportado para casa na Base Naval de San Diego.

Em 15 de fevereiro de 1996, a Stethem concluiu com sucesso seus Testes e Julgamentos Pós-entrega, o que significa sua prontidão para operações de combate.

4 de abril de 1997 Comandante James O'Keefe III substituiu o comandante. Steven Miller como oficial comandante do DDG 63.

O USS Stethem navegou para o Golfo Pérsico para sua primeira implantação no exterior em Poderia e se apresentou para funções no Bahrein em 3 de julho. Ao longo dos três meses seguintes, ela serviu como comandante principal da Guerra Aérea, Comandante da Guerra de Superfície, Plataforma de Ataque Pronto e Coordenadora LINK. Enquanto cumpria essas múltiplas funções de guerra, os Stethem forneceram apoio aos Grupos de Batalha Constellation e John F. Kennedy (CV 67) e aeronaves da Força Aérea dos EUA engajadas na Operação Southern Watch. Ela apoiou as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra o Iraque, conduzindo 54 embarques e inspeções de suspeitos de violar as sanções. A primeira implantação de Stethem incluiu visitas a portos para Cingapura, Malásia, Bahrein, Omã, Emirados Árabes Unidos e Fremantle e Sydney, Austrália. USS Stethem voltou a San Diego em 11 de novembro 1997 para começar seu segundo ciclo de treinamento entre desdobramentos.

16 de abril de 1999 O USS Stethem partiu da Base Naval de San Diego para seu segundo desdobramento no Golfo Pérsico como parte da Força do Oriente Médio 99-2. Após visitas aos portos de Guam, Saipan, Cingapura e Tailândia, ele se apresentou para o serviço no Golfo e rapidamente começou a trabalhar conduzindo Operações de Liberdade de Navegação e Operações de Interceptação Marítima. Ao longo de seus setenta e seis dias na estação, Stethem serviu como Comandante de Guerra Aérea, Plataforma de Ataque Pronto e Coordenadora de Rastreamento da Força Over-the-Horizon e também teve a oportunidade de apoiar o Grupo de Batalha USS Theodore Rosevelt (CVN 71) como escolta de transportadora e guarda de avião. Depois de servir pela segunda vez como navio de comando para o norte da MIO do Golfo Pérsico, ela transitou pelo Estreito de Hormuz em 13 de agosto. Após visitas a Fremantle e Port Kembla, Austrália e Suva, Fiji, o destruidor de mísseis guiados voltou para casa em 4 de outubro.

Após outra excelente Avaliação de Prontidão e Treinamento do Comando (CART II), a Stethem novamente definiu o padrão ao completar o Período de Avaliação Final (FEP) durante o TSTA III. Em meados de setembro e durante uma visita ao porto de San Francisco, foi chamado ao mar pela Força-Tarefa Conjunta Interagências Oeste. O contratorpedeiro escoltou o navio pesqueiro Gran Tauro, capturado com mais de cinco toneladas métricas de cocaína bruta a bordo - um patrimônio líquido de mais de US $ 500 milhões, até San Diego.

13 de janeiro de 2001 O USS Stethem partiu de San Diego para uma implantação programada no Golfo Pérsico como parte do MEF 01-1. Após visitas a portos no Havaí, Guam, Cingapura e Tailândia, o destróier entrou na 5ª Área de Responsabilidade da Frota (AoR) da Marinha dos EUA em 28 de fevereiro. Ao longo de seus 68 dias na estação no Golfo Pérsico, ela conduziu Operações de Interceptação Marítima, serviu como Comandante de Guerra Aérea, apoiou a Operação Southern Watch, serviu como uma plataforma de ataque pronta e participou como um jogador chave em dois exercícios navais internacionais, Arabian Gauntlet e Neon Falcon. A MIO resultou na captura do navio a motor Diamond, a terceira maior prisão de um violador de sanções por contrabando de petróleo desde a Guerra do Golfo. Ela visitou Omã, Cingapura, Darwin e Cairns, Austrália, American Somoa e Pearl Harbor, Havaí, e voltou ao porto de casa em 28 de junho.

Depois de desfrutar do Movimento Post-Oversees Stand-down, o USS Stethem apoiou o Grupo de Batalha USS John C. Stennis (CVN 74) durante seu Problema de Batalha Final como uma força oposta. No início de setembro, o DDG 63 passou por inspeções do INSURV e mais uma vez estabeleceu o padrão. Poucas horas após o ataque terrorista na cidade de Nova York e Washington, DC em 11 de setembro, o Stethem, já em andamento para o INSURV, foi chamado para apoiar a Operação Noble Eagle e encarregado de realizar vigilância aérea dos acessos a San Diego e fornecendo cobertura de defesa aérea para recursos de navegação vitais.

Em 30 de setembro, o Stethem deu início a um Drydocking Selected Restricted Availability (DSRA) de nove semanas nos estaleiros marítimos da Southwest Marine e Continental em San Diego.

30 de outubro, o destróier de mísseis guiados partiu da doca seca e mudou-se para o estaleiro marítimo continental de San Diego.

Ao retornar à Naval Station San Diego em 6 de dezembro, o Stethem marcou o fim do período de renovação e reforma de 9,4 milhões de dólares. o navio estava a caminho na semana seguinte para começar a trabalhar para sua próxima implantação. Retornou ao porto de origem em 14 de dezembro.

26 de julho de 2002 O USS Stethem chegou a Port Hueneme, Califórnia, para uma visita de três dias ao porto para participar do Seabee Days anual.

16 de outubro, o USS Stethem conduziu o Tomahawk Operational Test Launch (OTL) no complexo de teste do Naval Air Systems Command (NAVAIR) como parte do processo de avaliação técnica do Sistema de Controle de Armas Tático Tomahawk (TTWCS).

Em janeiro de 2003, o Stethem estava em andamento em apoio ao Exercício de Unidade de Treinamento Composto (COMPTUEX) do USS Nimitz (CVN 68) Carrier Strike Group (CSG), como parte das forças de oposição.

5 de fevereiro, o USS Stethem chegou a Puerto Vallarta, no México, para uma visita de boa vontade ao porto.

5 de abril, o DDG 63 lançou a Marinha dos EUA e o novo míssil de cruzeiro Tactival Tomahawk que viajou 760 n.m. para o local de impacto do alvo na Ilha de San Clemente, parte da faixa de teste de mar do Naval Air Systems Command (NAVAIR) na costa do sul da Califórnia. O evento marcou o primeiro lançamento do Bloco IV Tactical Tomahawk de um navio de superfície operacional equipado com o TTWCS e marcou o início da fase final dos testes de avaliação do governo.

3 de julho, Comandante. Charles F. Williams substituiu o comandante. David W. Melin, como oficial comandante do USS Stethem. Melin era CO desde 21 de novembro de 2001. As visitas a portos estrangeiros durante a turnê Melin & rsquos incluíram duas viagens a Puerto Vallarta, no México, e, mais recentemente, Victoria, na Colúmbia Britânica. As visitas aos portos dos Estados Unidos incluíram Juneau, Alaska e Seattle, Wash., Para o Seafair Festival anual.

26 de setembro, o USS Stethem chegou a Port Hueneme, Califórnia, para uma visita de três dias ao porto para comemorar o 60º aniversário da comunidade Seabee (Batalhão de Construção) da Marinha & rsquos. Realizou uma & quotOpen House & quot de 27 a 28 de setembro.

27 de maio de 2004 Raytheon Company & rsquos Tomahawk Block IV, o míssil de cruzeiro oficialmente atingiu a capacidade de operação inicial (IOC) com o carregamento do primeiro míssil a bordo do Stethem.

11 de junho, o USS Stethem recentemente chegou a Portland, Oregon, para participar do 97º Festival Anual de Portland Rose.

Em 21 de setembro, o USS Stetham conduziu o Tomahawk OTL enquanto navegava na costa do sul da Califórnia, a partir das cordilheiras do Naval Air Systems Command (NAVAIR), que voou em uma missão de ataque terrestre de 674 milhas náuticas totalmente guiada. O teste marcou o primeiro uso de um novo míssil de produção do bloco IV Tomahawk. O primeiro Teste de Verificação de Produção foi conduzido na Divisão Principal do Centro de Guerra de Superfície Naval em 16 de setembro. Os novos recursos que o Bloco IV Tomahawk traz para a Marinha e Rsquos são derivados do link de dados de satélite bidirecional de mísseis e rsquos que permite ao míssil responder às mudanças nas condições do campo de batalha. O míssil pode ser redirecionado para um novo alvo e, pela primeira vez, pode executar missões do Sistema de Posicionamento Global (GPS).

17 de junho de 2005 O USS Stethem chegou ao seu novo porto doméstico de Atividades da Frota em Yokosuka na Prefeitura de Kanagawa, Japão.

21 de agosto, USS Stethem, junto com USS Kitty Hawk (CV 63), USS Boxer (LHD 4), USS Chancellorsville (CG 62), USS Fitzgerald (DDG 62), USS Vandegrift (FFG 48), USS Gary (FFG 51) , USNS Dahl (T-AKR 312) e M / V CPL. Louis J. Hauge Jr. (T-AK 3000), participou de operações de grupo de ataque integrado, durante as últimas duas semanas, incluindo Joint Air Sea Exercise 2005 (JASEX & lsquo05).

24 de outubro, DDG 63 partiu de Yokosuka para uma patrulha de outono de rotina como parte do USS Kitty Hawk Carrier Strike Group.

24 de novembro, The Stethem chegou a Hong Kong para uma visita agendada ao porto após a participação no Exercício Anual (ANNUALEX) 2005. Retornou para casa em 6 de dezembro.

10 de fevereiro de 2006 O USS Stethem chegou a Nagasaki, Japão, para uma visita agendada ao porto.

23 de março, o USS Stethem concluiu um exercício de passagem de três dias (PASSEX), no oeste do Oceano Pacífico, com os navios USS Abraham Lincoln (CVN 72) CSG e a Força de Autodefesa Marítima Japonesa (JMSDF): DS Harusame (DD 102) , Hatakaze (DDG 171) e JDS Kirishima (DDG 174).

4 de abril, USS Stethem, comandado pelo Comandante. Robert P. Gonzales, puxado para Akita, Japão, para uma visita agendada ao porto. Este é o primeiro navio da Marinha dos EUA a visitar Akita em mais de 30 anos.

4 de maio, Stethem e Curtis Wilbur (DDG 54) estão atualmente participando de uma Multi-Sail 2006 como parte do Destroyer Squadron (DESRON) 15. Multi-Sail é um exercício que permite aos navios da Força Naval Distribuída Avançado maximizar sua prontidão de combate nível, participando em exercícios de manobra entre navios e permite-lhes operar em um ambiente multi-navio.

8 de junho, DDG 63 está atualmente em doca seca no Estaleiro Naval de Yokosuka para uma Disponibilidade restrita selecionada (SRA) desarmada em 21 de junho.

15 de outubro, USS Stethem partiu da Fleet Activities Yokosuka para uma patrulha de outono de rotina.

6 de novembro, após um exercício bem-sucedido das Forças de Operações Especiais Contra (CSOFEX) 06, os Stethem se juntaram ao USS Essex (LHD 2) Grupo Amphibious Ready para Visão de Talon e Exercício de Aterrissagem Anfíbia (PHIBLEX) 2007, na costa das Filipinas, a partir de outubro . 16-31.

9 de novembro, o USS Stethem partiu de Sasebo, Japão, após uma escala de rotina no porto. O navio está atualmente na costa do Japão participando do ANNUALEX, o maior exercício bilateral entre a Marinha dos EUA e a Força de Autodefesa Marítima do Japão.

30 de novembro, o The Stethem partiu recentemente de Hong Kong após uma visita agendada ao porto.

12 de dezembro, Comandante. Paul J. Lyons substituiu o comandante. Robert P. Gonzales como CO da Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando na Base Naval de Yokosuka.

30 de janeiro de 2007 O USS Stethem está atualmente conduzindo as qualificações da cabine de comando na costa do Japão.

12 de fevereiro, DDG 63 voltou ao homeport após completar duas semanas de exercícios regulares programados no mar. O navio visitou recentemente Sapporo, no Japão.

7 de abril, o USS Stethem está atualmente participando do exercício Malabar 07-01, com a Marinha da Índia, na costa de Okinawa, Japão.

22 de maio, o USS Stethem chegou a Quingdao, China, para uma visita agendada ao porto. O navio partiu recentemente para a Patrulha da Primavera no Oceano Pacífico.

13 de agosto, DDG 63 está atualmente participando do exercício Valiant Shield 2007 na costa de Guam.

27 de março de 2008 O destróier de mísseis guiados retornou a Yokosuka após completar um período de rotina em andamento.

Em 7 de maio, o Stethem chegou a Vladivostok, Rússia, para uma escala no porto de Inport Busan, República da Coréia, em meados de junho.

9 de fevereiro de 2009 O USS Stethem está atualmente em andamento no Golfo da Tailândia, participando do exercício Cobra Gold 2009, como parte do ESG Essex (LHD 2).

Em 1º de julho, o Stethem chegou a Vladivostok, Rússia, para comemorar o Dia da Cidade de Vladivostok e o Dia da Independência dos EUA.

7 de novembro, o USS Stethem chegou a Hong Kong para uma visita agendada ao porto.

11 de dezembro, Comandante. Henry C. Adams substituiu o comandante. Shan M. Byrne como CO dos Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando no Harbor Master Pier.

16 de abril de 2010 DDG 63 concluiu sua participação no exercício Multi-Sail na costa de Okinawa.

Em 28 de maio, o USS Stethem está em andamento no Oceano Pacífico ocidental, com o USS George Washington (CVN 73) CSG, para apoiar a segurança e estabilidade na 7ª Área de Responsabilidade da Frota.

1 de Novembro, O USS Stethem voltou para as atividades da frota em Yokosuka após uma patrulha de outono de dois meses com o GW CSG.

11 de novembro, o Stethem atracou no Navy Pier, White Beach Naval Facility em Okinawa, Japão, para participar do White Beach Festival de 2010 em 12 de novembro. A chegada marca a primeira visita do navio da Marinha dos EUA durante o festival em uma década.

28 de novembro, o USS Stethem está atualmente participando de um treinamento naval conjunto com as forças navais da República da Coréia, nas águas a oeste da Península Coreana, como parte do USS George Washington CSG.

4 de fevereiro de 2011 O destróier de mísseis guiados chegou a Hong Kong para uma visita de quatro dias ao porto de Inport White Beach, Okinawa, de 1 a 2 de março. Breve parada em Sasebo em 17 de março.

18 de março, DDG 63 ancorou em Donghae Harbor, República da Coréia, para uma visita agendada ao porto antes de participar do exercício anual Foal Eagle.

28 de março, USS Stethem atracado no cais 3, Juliet Basin Wharf in Fleet Activities Sasebo para uma escala de três dias no porto Participou do exercício Malabar 2011 com a Marinha da Índia, na costa de Okinawa, de 3 a 10 de abril. Retornou a Yokosuka em abril 10

2 de maio, o Stethem entrou na doca seca do Estaleiro Naval de Yokosuka para uma Disponibilidade restrita selecionada (SRA) de quatro meses.

19 de maio, Comandante. Michael B. DeVore substituiu o comandante. Henry C. Adams como CO do USS Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando a bordo do navio no CFAY.

20 de novembro, o USS Stethem chegou a Bali, Indonésia, para uma visita agendada ao porto. O navio participou de um Exercício Anual bilateral (ANNUALEX), como parte do USS George Washington CSG, de 27 de outubro a 4 de novembro.

27 de novembro, O destruidor de mísseis guiados ancorou ao largo da costa de Dili para uma visita ao porto de Timor-Leste.

29 de janeiro de 2012 DDG 63 está atualmente participando do exercício Multi-Sail 2012 na costa de Okinawa.

3 de fevereiro, o USS Stethem retornou à Fleet Activities em Yokosuka após um período de duas semanas.

22 de Março, USS Stethem partiu do porto de origem para uma implantação independente programada na 5ª e 7ª Frota AoR dos EUA.

30 de março, o Stethem ancorou na Baía de Patong para uma visita ao porto de Phuket, Tailândia.

13 de julho, o USS Stethem chegou ao porto de Khalifa bin Salman em Hidd, Bahrein, para uma escala de nove dias. Outra visita ao Bahrein em meados de agosto.

9 de novembro, o destruidor de mísseis guiados atracou recentemente na Base Naval de Changi em Cingapura para uma escala de rotina no porto.

16 de novembro, O USS Stethem voltou a Yokosuka, Japão, após um desdobramento de oito meses. O navio viajou mais de 34.000 n.m. e também fez escala no porto para Jebel Ali, U.A.E.

20 de novembro, Comandante. Christopher W. Adams substituiu o comandante. Michael B. DeVore como CO da Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando a bordo do navio.

De 10 a 16 de janeiro de 2013, o DDG 63 estava em andamento para operações locais e descarregamento de munição no ancoradouro A-12.

14 de maio, o USS Stethem partiu da Fleet Activities Yokosuka para testes de mar de dois dias após quatro meses de Disponibilidade Restrita Selecionada (SRA) em andamento em apoio a tarefas nacionais emergentes em 20 de maio Ancorado em A-12 para carregamento de munição em 25 de maio. em 17 de junho Ancorado em A-12 novamente em 13 de agosto.

19 de agosto, o USS Stethem partiu do porto de origem para uma patrulha do oeste do Pacífico.

4 de setembro, O destróier de mísseis guiados atracou recentemente nas instalações navais de White Beach em Okinawa para uma escala de rotina no porto. Voltou para casa em 9 de setembro.

20 de maio de 2014 Comandante John F. Bradford substituiu o comandante. Christopher W. Adams como o 13º CO de Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando a bordo do navio na Fleet Activities Yokosuka.

10 de junho, o USS Stethem ancorou em A-12 para carregamento de munição após seis meses de disponibilidade restrita selecionada (SRA) em andamento para testes de mar de 21 a 23 de junho em andamento em apoio às tarefas nacionais emergentes em 25 de junho.

7 de julho, The Stethem participou de um exercício fotográfico (PHOTOEX), com o USS John S. McCain (DDG 56) e o USS Kidd (DDG 100), enquanto navegava no Mar do Sul da China. DDG 63 recentemente se juntou ao USS George Washington CSG no Summer Patrol.

11 de julho, o USS Stethem atracou na Base Naval de Busan, na República da Coréia, para uma visita de quatro dias ao porto.

1º de agosto, DDG 63 atracado na Fleet Activities Sasebo, Japão, para uma visita de três dias ao porto depois de participar de um exercício trilateral Malabar 2014, no Mar das Filipinas, de 26 a 30 de julho. Retornou a Yokosuka em 7 de agosto. Em andamento novamente em agosto 14.

19 de agosto, The Stethem atracou no Navy Pier, White Beach Naval Facility em Okinawa, Japão, para uma breve escala no porto antes de participar de um exercício de Medição de Prontidão e Avaliação de Navios Anti-Submarino (SHAREM) com a Força de Autodefesa Marítima do Japão Retornada para Yokosuka em 27 de agosto Em andamento para operações locais de 30 de agosto a 4 de setembro.

8 de setembro, USS Stethem partiu da Fleet Activities Yokosuka para uma Patrulha de Outono como parte do GW CSG.

15 de setembro, o destruidor de mísseis guiados participou do exercício de afundamento (SINKEX) do ex-USS Fresno (LST 1182), 215 milhas náuticas a nordeste de Guam, como parte do exercício de treinamento bienal Valiant Shield 2014.

30 de setembro, o USS Stethem atracou no Delta Wharf no porto de Apra, Guam, para uma breve escala no porto para reabastecimento.

2 de outubro, o Stethem atracou no porto de Saipan, Ilhas Marianas do Norte, para uma visita de cinco dias ao porto. Emergência feita devido à aproximação do tufão Vongfong em 4 de outubro. Transitou pelo estreito de Surigao em direção ao sul em 10 de outubro.

12 de outubro, DDG 63 atracado em Rivera Wharf South em Subic Bay, Filipinas, para uma breve escala no porto.

13 de outubro, O USS Stethem atingiu um barco de pesca motorizado de 19 pés de comprimento com um barco a remo de 5 pés a reboque nas águas de Kinabuksan, Zambales, enquanto estava saindo de Subic Bay sem nenhum "barco de críquete" como escolta. Ambos os barcos foram seriamente danificados e viraram como resultado do impacto massivo. Os marinheiros de Stethem salvaram três pescadores de um possível afogamento no Underway, em Subic Bay, em 15 de outubro.

24 de outubro, Capitão Shan M. Byrne, Comandante, Esquadrão de Destruidores (COMDESRON) 15 dispensado do cargo Comandante. John Bradford devido a uma "perda de confiança em sua capacidade de comando". O capitão Christopher J. Sweeney, vice-comodoro do DESRON 15, assumiu o comando temporário do Stethem.

27 de outubro, The Stethem atracou novamente no Delta Fueling Pier em Apra Harbor, Guam, para uma visita de dois dias ao porto. Participou de um exercício bilateral ANNNUALEX / Keen Sword, ao norte de Okinawa, Japão, de 11 a 19 de novembro.

21 de novembro, O USS Stethem voltou ao porto de origem após uma patrulha de 10 semanas na Área de Responsabilidade da 7ª Frota dos EUA (AoR).

3 de dezembro, o Stethem partiu da Fleet Activities Yokosuka para participar do exercício de Medição de Prontidão e Avaliação (SHAREM) de Guerra Anti-submarino de Navios (ASW), de 8 a 12 de dezembro Ancorado em A-12 após realizar qualificações de pouso no convés com dois UH-60L , do Batalhão de Aviação do Exército dos EUA no Japão, em 14 de dezembro Ancorado no Harbor Master Pier (HMP) Oeste em 16 de dezembro.

A -12 para carregamento de munição em 30 de junho Ancorado no cais 8 em 1 de julho Ancorado no A-12 novamente de 14 a 15 de julho Em andamento novamente em 22 de julho.

28 de julho, o USS Stethem atracou no cais 25 do porto de Qingdao, na República Popular da China, para uma visita de dois dias ao porto. Participou de um exercício de busca e resgate (SAREX) com o PLA (N) Yantai (FFG 538) em 30 de julho Retornou para casa em 3 de agosto.

4 de setembro, o Stethem atracou fora de bordo do USS Mustin (DDG 89) no Harbor Master Pier (HMP) East após dois dias de viagem para os preparativos do INSURV. Em andamento novamente de 8 a 9 de setembro. Movido para o cais 6 no dia 11 de setembro em andamento nos dias 22, 24 e 28 de setembro Em andamento para operações locais de 6 a 8, 22-23 de outubro e 26 de outubro Em andamento para uma avaliação de inspeção de meio ciclo (MCI) com o Conselho de Inspeção e Pesquisa em 2 de novembro .?

9 de novembro, o USS Stethem partiu da Fleet Activities de Yokosuka para uma patrulha do oeste do Pacífico.

13 de novembro, o destruidor de mísseis guiados atracado no Berço 6, Bacia da Índia em Atividades da Frota Sasebo para uma breve parada.

16 de novembro, o USS Stethem atracou na Base Naval de Wusong em Xangai, República Popular da China, para uma visita de quatro dias ao porto. Participou de um exercício de busca e resgate (SAREX) com o PLA (N) Xuzhou (FFG 530) em novembro 20.

22 de novembro, The Stethem juntou-se ao USS Ronald Reagan (CVN 76) CSG, no mar das Filipinas norte, para o ANUALEX 27G Participou de um exercício fotográfico (PHOTOEX) em 23 de novembro. Retornou a Yokosuka em 24 de novembro Em andamento novamente em 30 de novembro Atracado com motor de popa USS Lassen (DDG 82) no HMP West em 4 de dezembro Transferido para o cais 3 em 5 de janeiro.

25 de janeiro de 2016 O USS Stethem partiu do porto de origem em apoio às tarefas nacionais emergentes. Ancorado no cais 3 de 29 a 30 de janeiro. Retornou a Yokosuka em 12 de fevereiro.

18 de fevereiro, o USS Stethem ancorou em A-10 para uma breve parada para carregar munição antes de iniciar as operações locais. Ancorado no cais 3 em 20 de fevereiro Ancorado em HMP East após um dia de navegação em Sagami Wan em 26 de fevereiro.

31 de março, DDG 63 atracado fora de bordo do USS Chancellorsville (CG 62) no Berço 6, Atividades da Frota Yokosuka após três dias em andamento para operações locais Em andamento novamente em 1 de abril Ancorado no Berço 3 em 4 de abril.

25 de abril, Os Stethem partiram da Fleet Activities de Yokosuka para uma patrulha do oeste do Pacífico.

1º de maio, o USS Stethem atracou no Terminal Convencional do Porto de Muara, Brunei, para participar de um exercício multinacional de segurança marítima e contra-terrorismo Reunião de Ministros da Defesa da ASEAN (ADMM +) em andamento para a fase no mar em 5 de maio.

8 de maio, o USS Stethem atracou no cais 8 da Base Naval de Changi em Cingapura para uma visita de seis dias ao porto.

12 de maio, Comandante. Douglas J. Pegher substituiu o comandante. Harry L. March como o 15º oficial comandante de Stethem.

21 de maio, O Stethem atracou no cais 5, Base Naval de Changi para uma breve parada para reabastecer Transmitiu o estreito de Malaca em direção ao norte de 21 a 22 de maio.

23 de maio, o Stethem iniciou um exercício de Guerra Anti-Submarina (ASW) de quatro dias, Guardian Sea, com o USS San Francisco (SSN 711), HTMS Chakri Naruebet (CVH 911), HTMS Naresuan (FF 421) e HTMS Taksin (FF 442), enquanto em andamento ao sul de Phuket Transmitiu o Estreito de Johore em direção ao leste em 30 de maio.

Em 4 de junho, o USS Stethem participou de uma atividade de treinamento multilateral com os navios da Marinha da Malásia, enquanto navegava no Mar de Sulu, na costa de Sabah, Malásia, como parte do exercício de Cooperação e Preparação para Flutuação (CARAT).

8 de junho, o destruidor de mísseis guiados atracou no Píer Alava, na Baía de Subic, para uma visita de três dias ao porto, após participar da fase no mar do CARAT Filipinas.

15 de junho, o USS Stethem ancorou ao largo da costa de Sattahip para participar do CARAT Tailândia em andamento para a fase no mar de 19 a 21 de junho Ancorado ao largo de Sattahip novamente de 21 a 23 de junho Inport Sasebo, Japão, de 28 a 29 de junho.

14 de julho, DDG 63 atracado no Berço 8, Base Naval de Changi para uma visita agendada ao porto para participar do CARAT Singapore Underway para a fase no mar de 22 a 27 de julho Ancorado no Berço 6, Base Naval de Changi de 27 a 29 de julho.

4 de agosto, o USS Stethem atracou em East Arm Wharf em Darwin, Austrália, para uma visita de três dias ao porto, que passou pelo estreito de Torres em direção ao leste em 9 de agosto.

14 de agosto, o Stethem atracou no Fleet Base East Berth 1, Garden Island Naval Base em Sydney, Austrália, para uma visita de cinco dias ao porto de Inport Apra, Guam, de 29 de agosto a setembro?.

10 de setembro, o USS Stethem atracou no Berth 1, Sierra Wharf no Porto de Apra para uma breve escala no porto antes de participar de um exercício bienal de treinamento de campo Valiant Shield 2016, como parte do USS Ronald Reagan CSG-5 Atracado fora de bordo do USS Benfold (DDG 65 ) em Sierra 1 Wharf no Porto de Apra, de 24 a 29 de setembro.

7 de outubro, The Stethem fez uma breve parada nas instalações navais de White Beach em Okinawa, Japão.

Em 16 de outubro, o USS Stethem atracou no cais 6 da Base Naval de Busan, na República da Coréia, para uma visita de cinco dias ao porto, após participar de um exercício de treinamento bilateral Invincible Spirit.

22 de outubro, O Stethem está atualmente em andamento no Mar do Japão em apoio a tarefas nacionais Transited o Estreito da Coréia em direção ao sul em 7 de novembro. Breve parada na Bacia da Índia em Atividades da Frota Sasebo para embarcar & quotTigers & quot em 15 de novembro.

17 de novembro, USS Stethem atracado no Berço 9, Atividades da Frota em Yokosuka após um desdobramento de sete meses.

18 de janeiro de 2017 USS Stethem partiu do porto de origem para uma patrulha de rotina ancorada ao largo de Yokosuka para embarque de munição.

De 20 a 22 de janeiro, o Stethem participou de um exercício de defesa antimísseis, no Mar do Japão, com o JDS Kirishima (DDG 174) e o ROKS Sejong, o Grande (DDG 991) Ancorado no Berço 3, Atividades da Frota em Yokosuka em fevereiro. 15 Atracado no cais 9 para uma breve parada antes de partir novamente em 24 de fevereiro.

1º de março, o USS Stethem atracou no cais 2, Romeo Wharf no porto de Apra, Guam, para a fase no porto de um exercício Multi-Sail 17 em andamento para a fase no mar de 6 a 10 de março. Inport Apra Harbor novamente de 10 de março. 12

17 de março, USS Stethem atracado em North Wharf em Port of Donghae, República da Coréia, para uma visita de quatro dias em preparação para o exercício conjunto anual Potro Eagle Participou de um exercício fotográfico (PHOTOEX) com o USS Carl Vinson (CVN 70), USS Lake Champlain (CG 57), USS Wayne E. Meyer (DDG 108), USS Alexandria (SSN 757) e navios da Marinha ROK em 22 de março.

25 de março, USS Stethem atracado no Berço F2, Complexo Civil-Militar de Jeju na Ilha de Jeju, República da Coréia, para uma visita de dois dias ao porto, a primeira de um navio da Marinha dos EUA atracado no Berço 3, Cais da Bacia de Juliet em Atividades da Frota Sasebo de 28 a 31 de março.

11 de abril, O Stethem atracou recentemente no Píer de Alava em Subic Bay, Filipinas, para uma escala de rotina no porto. Atracou novamente no Píer de Alava para uma breve parada para reabastecimento em 24 de abril Transitou pelo Estreito da Coréia em direção ao norte em 29 de abril.

28 de maio, O USS Stethem atracou no HMP East na Fleet Activities Yokosuka após uma patrulha de três meses na 7ª Frota AoR dos EUA.

7 de junho, O destróier de mísseis guiados ancorou no A-12 de Yokosuka para uma breve parada para descarregar munição Ancorado no A-12 para uma breve parada novamente em 9 de junho.

Em 22 de junho, o Stethem ancorou em A-12 para uma breve parada para carregar munição antes de iniciar em apoio a uma tarefa nacional emergente. Transitou pelo estreito da Coréia em direção ao norte em 25 de junho.

2 de julho, o USS Stethem conduziu uma "operação de liberdade de navegação" perto da Ilha de Triton no Mar da China Meridional. Ancorado no Berço 1, Terminal de Sembawang em Cingapura para manutenção de 13 a 27 de julho.

4 de agosto, a busca pelo tenente Steven D. Hopkins foi suspensa às 16h. JST depois que ele foi dado como desaparecido na terça-feira por volta das 9h, horário local, enquanto o Stethem estava em andamento a aproximadamente 140 milhas a oeste da Baía de Subic.

Em 7 de agosto, o DDG 63 fez uma breve parada nas instalações navais de White Beach em Okinawa, Japão. Ancorado no cais 9, Fleet Activities Yokosuka em 10 de agosto.

28 de setembro, Comandante. Jeffrey W. Benson substituiu o comandante. Douglas J. Pegher como CO do USS Stethem durante uma cerimônia de mudança de comando no Fleet Theatre do CFAY.

2 de outubro, o Stethem mudou-se do Berço 9 para o Berço 3 nas Atividades da Frota em Yokosuka.

9 de outubro, USS Stethem partiu de Yokouka para uma patrulha de outono como parte do USS Ronald Reagan (CVN 76) CSG ancorado no A-12 para uma breve parada para carregar munição.

13 de outubro, o Stethem ancorou ao largo das instalações navais de White Beach para uma breve parada antes de ancorar no Navy Pier Departed Okinawa em 14 de outubro.

October 18, USS Stethem participated in a photo exercise (PHOTOEX), with the USS Ronald Reagan and ROK Navy ships, at the start of a three-day Maritime Counter Special Operations exercise (MCSOFEX) in the Sea of Japan Moored at Berth 2 in Busan Naval Base, ROK, from Oct. 21-23 Participated in a trilateral link exercise (LINKEX) from Oct. 24-25.

November 12, The Stethem, as part of the Reagan Carrier Strike Group (CSG) 5, participated in two PHOTOEXs in the Sea of Japan, along with the USS Nimitz (CVN 68) and USS Theodore Roosevelt (CVN 71) CSGs.

November 26, USS Stethem made a brief stop off White Beach Naval Facility after paticipated in Annual Exercise (ANNUALEX) 29G, in the waters around Okinawa Brief stop off White Beach again on Nov. 27 Arrived in Sagami Wan on Nov. 29 Anchored at A-12 for a brief stop on Nov. 30.

November 30, USS Stethem moored at Berth 9 on Fleet Activities Yokosuka after completing a seven-and-a-half week patrol.

December 8, The Stethem moved from Berth 9 to Berth 7, outboard the USS Chancellorsville (CG 62), at Fleet Activities Yokosuka Moved to Berth 8 on Dec. 14.

April 4, 2018 The guided-missile destroyer moved from Berth 8 to Berth 3 on Fleet Activities Yokosuka Anchored at A-12 for a brief stop to onload ammo on April 16 Moved to Berth 7 on May 7 Moved to HMP East on May 14 Underway again on June 13 Anchored at A-12 for a brief stop to onload ammo before returned home on June 15.

June 18, USS Stethem anchored off Yokosuka again for a brief stop to onload ammunition before underway for routine training in Sagami Wan Brief stop off Yokosuka on June 25 Brief stop in Sagami Wan on June 26.

July 2, The Stethem pulled into Apra Harbor, Guam, for a four-day port visit to celebrate the Independence Day Moored at Naval Base Guam again from July 9-16 Brief stop in Sagami Wan on July 21.

23 de julho, USS Stethem moored outboard the USS Chancellorsville at Berth 7, Fleet Activities Yokosuka following a five-week patrol.

July 27, The Stethem emergency sortied from Yokosuka due to approaching Typhoon Jongdari Returned home on July 30 Underway for routine operations in Sagami Wan on Aug. 3 Anchored at A-10 for ammo offload on Aug. 5 Emergency sortied due to approaching Typhoon Shanshan on Aug. 6 Moored at Berth 3 on Aug. 9 Anchored at A-12 for a brief ammo offload on Aug. 13 Moved to HMP East on Aug. 15.

December 5, USS Stethem anchored at A-12 for a brief stop to onload ammo before underway for sea trials, following a three-and-a-half month Selected Restricted Availability (SRA) Moored at Berth 3 on Dec. 15.

January 7, 2019 The Stethem anchored at A-12 for a three-day ammo onload Underway again on Jan. 25 Brief stop in Sagami Wan on Jan. 27 Moored at Berth 9 on Jan. 28.

January 30, USS Stethem departed Yokosuka for a routine patrol in the U.S. 7th Fleet AoR Anchored at A-12 for a brief stop to onload ammo.

February 18, The Stethem conducted a replenishment-at-sea with the USNS Pecos (T-AO 197), while underway in the East China Sea Transited the Taiwan Strait southbound, along with the USNS Cesar Chavez (T-AKE 14), on Feb. 25.

February 28, The Stethem conducted a replenishment-at-sea with the USNS Wally Schirra (T-AKE 8), while underway in the South China Sea.

March 3, USS Stethem moored at Berth 9 on Fleet Activities Yokosuka Anchored at A-12 to offload ammo on March 16 Moored at Berth 3 on March 17 Anchored at A-12 again on April 8 Underway on April 9.

April 10, The Stethem departed Sagami Wan, on Wednesday morning, for search-and-rescue (SAR) operation after an F-35A Lightning II, assigned to the JASDF's 302nd Tactical Fighter Squadron, crashed about 85 miles east of Misawa Air Base on Tuesday evening Brief stop in Sagami Wan on April 17 Entered the Yellow Sea on April 20.

April 26, USS Stethem arrived off the east coast of Okinawa, Japan Transited the Taiwan Strait northbound from April 28-29.

May 2, USS Stethem moored outboard the USS John S. McCain (DDG 56) at HMP West on Fleet Activities Yokosuka Day-long underway for Mid-Cycle Inspection (MCI) rehearsal on May 3 Day-long underway for MCI assessment with the INSURV on May 8 Underway again on May 12.

May 17, USS Stethem anchored off the coast of Shimoda, Shizuoka Prefecture, for a three-day port visit in conjunction with the annual Black Ship Festival Returned home on May 20.

May 24, Cmdr. John P. Rummel, IV relieved Cmdr. Jeffrey W. Benson as the 17th CO of Stethem during a change-of-command ceremony on board the ship.

June 5, The Stethem moved from HMP West to Berth 6 on Fleet Activities Yokosuka.

June 17, USS Stethem departed Yokosuka for a homeport change to San Diego, Calif., after forward-deployed to Japan for 14 years Anchored at A-12 for a brief stop to offload ammunition.

June 21, The Stethem conducted a replenishment-at-sea with the USNS Matthew Perry (T-AKE 9), while underway approximately 30 n.m. northwest of Guam Moored at Echo Fueling Pier in Apra Harbor for a brief stop on June 28 Moored at Pier M3 in Pearl Harbor, Hawaii, from July 7-11.

18 de julho, USS Stethem moored at Berth 1, Pier 3 in its new homeport of Naval Base San Diego Underway in the SOCAL Op. Area from July 22-26 Brief underway on Aug. 2 Underway again on Aug. 9.

August 12, The Stethem moored at Wharf 311 on Naval Weapons Station Seal Beach, Calif., for a three-day ammo offload Moored at Berth 2, Pier 13 on Aug. 16.

September 17, BAE Systems San Diego Ship Repair was awarded an $84,6 million contract for the USS Stethem's Extended Drydocking Selected Restricted Availability (E-DSRA). This contract includes options which, if exercised, would bring the cumulative value to $96,2 million and the work is expected to be completed by October 2020.

October 8, USS Stethem entered the Pride of California Dry Dock in BAE Systems shipyard, on Tuesday evening.

June 4, 2020 The Stethem undocked, just after midnight, and moored at Pier 3N on BAE Systems shipyard.

24 de setembro, Cmdr. John R. Kajmowicz relieved Cmdr. John P. Rummel, IV as CO of the Stethem during a change-of-command ceremony on board the Non-self-propelled Barracks Ship (APL) ?.

June 8, 2021 USS Stethem moved "dead-stick" from BAE Systems shipyard to Berth 2, Pier 7 on Naval Base San Diego.


USS Sampson (DD-63) - History

USS Sampson , 1111-ton lead ship of a class of six destroyers that introduced the triple 21-inch torpedo tube mounting to U.S. Navy service, was built at Quincy, Massachusetts. Commissioned in late June 1916, she operated along the U.S. East Coast until May 1917, when, about a month after the United States had entered World War I, she steamed across the Atlantic to the European combat zone. For the rest of the conflict Sampson was based at Queenstown, Ireland, from which she conducted anti-submarine patrol and convoy escort missions. The destroyer returned to the U.S. early in 1919 and was employed during much of that year on torpedo test work. In May 1919 Sampson went to the Azores to serve as part of the destroyer picket line that supported the trans-Atlantic flight of the seaplane NC-4 . Decommissioned in June 1921, she was laid up at the Philadelphia Navy Yard for the next decade and a half. USS Sampson was stricken from the list of Navy ships in January 1936 and sold for scrapping in September of that year.

This page features, and provide links to, all the views we have concerning USS Sampson (Destroyer # 63, later DD-63).

Se desejar reproduções de resolução mais alta do que as imagens digitais apresentadas aqui, consulte: & quotComo obter reproduções fotográficas. & Quot

Clique na pequena fotografia para obter uma visão ampliada da mesma imagem.

USS Sampson (Destroyer # 63)

At anchor in Hampton Roads, Virginia, 13 December 1916.

U.S. Naval Historical Center Photograph.

Online Image: 54KB 740 x 585 pixels

USS Sampson (Destroyer # 63)

Anchored in Hampton Roads, Virginia, 13 December 1916.

U.S. Naval Historical Center Photograph.

Online Image: 58KB 740 x 570 pixels

USS Sampson (Destroyer # 63)

Halftone reproduction of a photograph of Sampson in the Atlantic, en route from the United States to Queenstown, Ireland, in May 1917.

U.S. Naval Historical Center Photograph.

Online Image: 53KB 740 x 475 pixels

USS Melville (Destroyer Tender # 2), at left

With USS Sampson (Destroyer # 63) alongside, at Queenstown, Ireland, circa 1918.
Note men painting the searchlight above Sampson 's pilothouse.


Sampson was assigned to Division 9 of the Atlantic Destroyer Force and conducted shakedown training out of Narragansett Bay. After war games off Provincetown, Massachusetts, she cleared Tompkinsville on 15 May 1917 to join the escort screen of a convoy which touched at Halifax and reached Queenstown, Ireland, on 25 May 1917. She reported for duty with the United States Naval Forces operating in European waters and was assigned to convoy escort duty in the approaches to the British Isles, basing her operations from Queenstown. Two British-type depth charge projectors were installed on her stern and, on 29 May, she commenced escort duty and protected the troop transports and merchant convoys from hostile submarines throughout the remainder of World War I.

On 18 June 1917, Sampson rescued two small boatloads of survivors of the SS English Monarch and the captain and 13 sailors from the torpedoed SS Elele. The next morning, she picked up 17 other survivors of the Elele and, on the 20th, she landed all at Queenstown. Sampson answered other distress calls before the end of the war, and she made several attacks to drive off submarines reported or seen near her convoys. She steamed from France with the Queenstown division of destroyers on 29 November 1918 and stood out from Brest Harbor on 12 Decemberto escort President Woodrow Wilson on board George Washington into the harbor. Returning to Queenstown on 14 December, she sailed for home on the 26th and arrived at the New York Navy Yard on 7 January 1919.

After repairs in the New York Navy Yard, Sampson was assigned to the 4th Division, 2d Flotilla, of the Destroyer Force and sailed on 22 March 1919 to base her operations from the Naval Torpedo Station at Newport, Rhode Island. She reported to the Inspector of Ordnance for experimental testing of torpedoes and mines, but interrupted this duty in May 1919 to assist in guarding the route of the NC-4 during that Navy seaplane&rsquos crossing over the Atlantic, the world&rsquos first successful trans-oceanic flight. She entered the New York Navy Yard on 1 December 1919 for deactivation overhaul, which was completed on 14 February 1921. Towed to the Philadelphia Navy Yard, Sampson was decommissioned on 15 June 1921. She remained inactive during the years that followed and, on 17 July 1935, was ordered scrapped in accordance with the London Treaty for the reduction of naval armaments. Her name was struck from the Navy list on 7 January 1936, and she was sold for scrap on 8 September 1936 to Boston Iron and Metal Co., Inc., Baltimore.


EUA SAMPSON

USS Sampson was built at Bath, Maine as an 1850-ton Somers class destroyer. She was commissioned during August o1938 and went to Europe on a shakedown cruise before returning to operate in the Atlantic and Caribbean until 1939. She headed to the Pacific for a year and then returned again to the Atlantic to do Neutrality Patrols between the West Indies and Newfoundland. In the late summer of 1941, USS Sampson began escort duties and conducted anti-submarine patrols during the first month of World War II, helping in any way that she could at that time.

In early 1942, USS Sampson went to Panama and was assigned to escorts and patrols along the Western edge of Latin America and other areas of the Western Pacific. In 1943, those assignments were extended into the South Pacific, where she remained until June 1944. At that point, USS Sampson was returned to the Atlantic and was employed in escorts of convoys across the Atlantic. She made five round trips to the Mediterranean Sea before taking on training duty in the summer of 1945. After this training, the USS Sampson sat idle, and was then decommissioned in November 1945. In March 1946, she was sold for scrapping.


USS Sampson (DDG 10)

USS SAMPSON was the 9 th ship in the CHARLES F. ADAMS - class of guided missile destroyers and was last homeported in Mayport, Fla.. USS SAMPSON was the third ship in the Navy to bear the name.

USS SAMPSON was stricken from the navy list on November 20, 1992, and was then berthed at the Naval Inactive Ship Maintenance Facility (NISMF), Philadelphia, PA. On December 16, 1994, SAMPSON was sold for scrap.

Características gerais: Concedido: 17 de janeiro de 1958
Keel laid: March 2, 1959
Launched: May 21, 1960
Commissioned: June 24, 1961
Decommissioned: June 24, 1991
Builder: Bath Iron Works, Bath, Maine.
Sistema de propulsão: caldeiras 4 - 1200 psi 2 turbinas engrenadas
Hélices: dois
Comprimento: 437 pés (133,2 metros)
Feixe: 47 pés (14,3 metros)
Calado: 20 pés (6,1 metros)
Deslocamento: aprox. 4.500 toneladas
Velocidade: 31+ nós
Aeronave: nenhum
Armamento: dois canhões Mk 42 calibre 5 polegadas / 54, torpedos Mk 46 de duas montagens triplas Mk-32, um lançador de mísseis Mk 16 ASROC, um lançador de mísseis Mk 11 Mod.0 para mísseis padrão (MR) e arpão
Tripulação: 24 oficiais e 330 alistados

This section contains the names of sailors who served aboard USS SAMPSON. Não é uma lista oficial, mas contém os nomes dos marinheiros que enviaram suas informações.

Accidents aboard USS SAMPSON:

William Thomas Sampson, born on 9 February 1840 in Palmyra, N.Y., entered the United States Naval Academy on 24 September 1857. After graduating 1st in his class four years later, he served as an instructor at the Academy. In 1864, he became the executive officer of the monitor PATAPSCO of the South Atlantic Blockading Station and engaged in sweeping torpedoes off Charleston. He survived the loss of that ironclad on 15 January 1865, when she struck a torpedo, exploded, and sank with a loss of 75 lives.

Following duty in the steam frigate, COLORADO, on the European Station, another tour as instructor at the Naval Academy, and in the Bureau of Navigation of the Navy Department, he served in the screw sloop, CONGRESS. He then commanded ALERT, practice ship MAYFLOWER, and SWATARA while on duty at the Naval Academy.

During the next years, he was Assistant to the Superintendent of the Naval Observatory, then Officer-in-Charge of the Naval Torpedo Station, Newport, R.I. On 9 September 1886, he became Superintendent of the Naval Academy. He was promoted to Captain on 9 April 1889, reported to the Mare Island Navy Yard to fit out SAN FRANCISCO, and assumed command when that protected cruiser was commissioned on 15 November 1889. He was detached in June 1892 to serve as Inspector of Ordnance in the Washington Navy Yard and was appointed Chief of the Bureau of Ordnance on 28 January 1893. He assumed command of battleship IOWA, on 15 June 1897. On 17 February 1898, he was made President of the Board of Inquiry to investigate the destruction of battleship MAINE. On 26 March 1898, he assumed command of the North Atlantic Station, with the temporary rank of Rear Admiral.

The United States declared war against Spain on 21 April 1898 and, eight days later, Admiral Cervera's fleet sailed from the Cape Verde Islands for an uncertain destination. Admiral Sampson, in flagship NEW YORK, put to sea from Key West in search of the Spanish Fleet and established a close and efficient blockade on that fleet in the harbor of Santiago on 1 June 1898. On the morning of 3 July 1898, Cervera's fleet came out of the harbor and was completely destroyed in a running sea battle lasting five hours. The next day, Rear Admiral Sampson sent his famous message: The Fleet under my command offers the nation as a Fourth of July present, the whole of Cervera's Fleet!

He was appointed Cuban Commissioner on 20 August 1898 but resumed command of the North Atlantic Fleet in December. He became Commandant of the Boston Navy Yard in October 1899 and transferred to the Retired List on 9 February 1902. Rear Admiral Sampson died in Washington, D.C., on 6 May 1902 and was buried in Arlington National Cemetery.

Early history of USS SAMPSON:

USS SAMPSON was laid down on 2 March 1959 by the Bath Iron Works Corp., Bath, Maine launched on 14 May 1960, sponsored by Mrs. John S. Crenshaw, and commissioned at the Boston Navy Yard on 24 June 1961, Comdr. Forrester W. Isen in command.

Following shakedown off Guantanamo Bay in September, SAMPSON tested and evaluated the Tartar Missile System off Puerto Rico. Homeported at Norfolk she conducted further tests and trials in early 1962 before joining Destroyer Squadron (DesRon) 18 and Destroyer Division (DesDiv) 182 in July. Composed completely of missile ships, DesRon 18 was then the most modern squadron in the Navy. Further radar and missile tests followed in 1963 and, in July, SAMPSON operated in the Midshipman Training Squadron. Finally, in January 1964, SAMPSON fired two Tartar missiles under simulated combat conditions. During 1964, she also underwent her first regular overhaul and received missile replenishment at sea from helicopters.

In January 1965, SAMPSON sailed for her first Mediterranean deployment, but an electrical fire on the night of 14 January caused extensive damage to her fire control capability and forced her to abbreviate her deployment and enter the Norfolk Naval Shipyard for repairs on 15 March.

The destroyer returned to fleet duties on 24 June. While conducting gunnery exercises, on 17 July, SAMPSON spotted the 50-foot sailing sloop, CECELIA ANNA, flying distress signals and rescued her 6 crewmen and mascot puppy moments before the sloop sank. In 1966, SAMPSON conducted gunnery exercises and escort duties near Guantanamo Bay, Cuba then, in March, she deployed to the Mediterranean for extensive operations with the 6th Fleet. She returned to Norfolk in August. On 28 November, following three weeks of exercises in the Caribbean and additional tests, SAMPSON got underway to participate in exercise "Lantflex 66" in which she provided ASW and AAW services for the ASW carrier, WASP (CVS 18), and conducted exercises in the Puerto Rico operating area before returning to Norfolk in December.

SAMPSON deployed to the Mediterranean in mid-1967. While there, a SAMPSON radarman rescued a German seaman from the harbor at El Ferrol de Caudillo, Spain. Leaving the 6th Fleet at the end of August 1967, SAMPSON steamed back to the United States, and soon shifted to her new home port of Charleston.

SAMPSON operated out of Charleston in the Atlantic and Caribbean during 1968 until again deploying to the Mediterranean in October. She returned to Charleston in January 1969 and resumed operations in the Atlantic and the Caribbean until redeploying to the Mediterranean in October of that year. After six months with the 6th Fleet, she returned to Charleston on 28 March 1970.

SAMPSON operated out of Charleston in the western Atlantic until 23 September, when, after only two days notice, she got underway for special operations in the Mediterranean. She spent the month of October cruising first with JOHN F. KENNEDY (CVA 67), then with SARATOGA (CV 60), during the latest Levantine crisis. On 1 November, she stood out of Barcelona, Spain, to return to the United States. SAMPSON entered the mouth of the Cooper River on the 12th, moored at Charleston, and began a leave and upkeep period.

She ended 1970 and began 1971 in Charleston. During the first three months of the new year, she operated in the vicinity of the British West Indies then prepared for overseas movement. On 9 April, following exercises and type training, SAMPSON steamed out of Charleston, passed Fort Sumter, and headed for the Mediterranean. She cruised with the 6th Fleet for six months, participating in exercises with both American and NATO forces. By 16 October, the guided missile destroyer was back in port at Charleston. She spent the rest of 1971 preparing for regular overhaul.

For four months, from 4 January until 4 May 1972, SAMPSON underwent the first Compressed Regular Overhaul ever attempted on a DDG. From mid-May until 9 July, she was underway for post-overhaul trials, exercises, and refresher training. She was in Charleston during the period 9 July to 18 August, at which time SAMPSON stood out for her new home port, Athens, Greece. She stopped at Rota, Spain, ten days later and entered Phaleron Bay on 3 October. The guided missile destroyer remained in the Mediterranean, based at Athens, throughout 1973 and into 1974. In April 1974, she was in port at Athens.


História

Naval Station Everett’s history began in 1983 when the secretary of the Navy proposed a new Puget Sound-area naval base as part of the Strategic Homeport concept. On April 17, 1984, Everett was selected from among 13 ports as the ideal location for the new homeport. Congress approved the first funds for construction Oct. 2, 1986, and the official groundbreaking ceremony was Nov. 9, 1987. The Navy awarded the $56 million carrier pier construction contract Sept. 9, 1988, and in June 1992, three Navy ships participated in the formal opening of the new pier.

A second groundbreaking ceremony took place Aug. 30, 1993, for the Naval Station Everett Navy Support Complex, off 136th Street in Smokey Point. The Navy acquired the 52-acre site to build facilities not available at the waterfront location, among them a commissary, a large exchange, a family support service center, a thrift shop, education offices, bachelor and visitor quarters, a chapel and religious education center, an auto hobby shop, ball fields and courts, fleet parking for personnel assigned to deployed Everett-based ships and a 50-room Navy Lodge.

During the first week of 1994, Naval Station Puget Sound personnel moved to the recently completed fleet support and administration buildings, and on Jan. 4, 1994, officially began operating at Naval Station Everett. On April 8, 1994, the official dedication ceremony was conducted with more than 1,000 guests attending.

On Sept. 3, 1994, USS Ingraham (FFG 61) and USS Ford (FFG 54) arrived as the first of seven ships to be assigned here. On Nov. 22, 1995, USS Paul F. Foster (DD 964) arrived at the naval station. On that same date, the Navy officially announced the assignment of USS David R. Ray (DD 971), USS Callaghan (DDG 994) and USS Chandler (DDG 996) to Naval Station Everett. USS David R. Ray arrived July 29, 1996, and USS Callaghan and USS Chandler both arrived Sept. 27, 1996. To complete the complement of ships at Naval Station Everett, USS Abraham Lincoln (CVN 72) made a change of homeport from Puget Sound Naval Shipyard at Bremerton to Everett Jan. 8, 1997.

In March 1998, USS Callaghan was decommissioned, and in May 1998, two ships based in Japan, USS Fife (DD 991) and USS Rodney M. Davis (FFG 60), made their official change of homeport to Everett.

The Housing Welcome Center at the Navy Support Complex opened in February 1999, and the third bachelor enlisted quarters was opened in May. In September 1999, USS Chandler was decommissioned.

The year 2000 found Naval Station Everett growing. The station added a Navy Federal Credit Union branch, two gas stations and mini-marts and a small movie theater in The Commons and expanded the facilities for off-duty college courses. Also in this banner year, the naval station welcomed the Coast Guard buoy tender USCGC Henry Blake.

Today, the station is home to six Navy ships and two Coast Guard ships: USS Shoup, USS Momsen, USS Kidd, USS Gridley, USS Sampson, USS Ralph Johnson, USCGC Blue Shark and USCGC Henry Blake.


U.S. Destroyer Sampson On Station for Airliner Search, Fort Worth LCS Being Made Ready

USS Sampson (DDG 102) gets underway. Sampson leaves Singapore after a scheduled port visit on Dec. 29, 2014. US Navy Photo

The headline of this post was updated to reflect USS Fort Worth (LCS-3) is being prepared to travel to the search area for the missing Air Asia flight. As of this update, the ship is still docked in Singapore.


USS Sampson (DD 394)

Decommissioned 8 November 1945.
Stricken 28 November 1945.
Sold and broken up for scrap 29 March 1946.

Commands listed for USS Sampson (DD 394)

Observe que ainda estamos trabalhando nesta seção.

ComandanteA partir dePara
1Cdr. William Granat, USN19 Aug 193829 Jun 1940
2Cdr. William Kearney Phillips, USN29 Jun 194021 Dec 1940
3Cdr. Lunsford Yandell Mason, Jr., USN21 Dec 19405 Dec 1941
4Lt.Cdr. Harman Brown Bell, Jr., USN6 Dec 19414 Sep 1943
5T/Cdr. Thomas Martin Fleck, USN4 Sep 19439 Dec 1944
6Samuel Oliver Rush, Jr., USN9 Dec 19448 Nov 1945

Você pode ajudar a melhorar nossa seção de comandos
Clique aqui para enviar eventos / comentários / atualizações para esta embarcação.
Por favor, use isto se você detectar erros ou quiser melhorar esta página de navios.

Links de mídia


DD-63 Sampson

The US Navy's destroyer programs featured rapid growth of numbers and individual size. Tonnage increased as greater offensive and screening capacities were needed, and new fields of action opened up in anti submarine warfare. Few of the pre-World War I vessels served in the the Navy after the war, and the oldest of these which survived to see service in World War II was ALLEN, of the thousand-ton Sampson class.

The 1,000-ton class includes all vessels from the Cassin, No. 43, to and including the Shaw, No. 68. Vessels of this class have a high forecastle extending from the stem to a point just abaft the pilot house, where it breaks off to a low main deck which is extended to the stern. The high forecastle of these vessels plays an important part in their manoeuvring qualities acting as a permanent jib, which, while helpful under some conditions, is a serious handicap under others. It must always be kept in mind and allowed for, its principal effect being, of course, to make it difficult to bring the vessel up to the wind. Caution must be used when such a vessel is run into a small harbor into which the wind is blowing and where it will be necessary to turn her within the harbor in order to get out. Under such conditions the ship may get beam to wind, and, lacking space to gather headway, refuse to turn into it, and may drift ashore broadside on.

Several narrow escapes are on record resulting from failure to appreciate this feature. In turning with a vessel of this type, it is desirable to turn in such a way as to take advantage of the jib effect instead of having to work against it. The effect of the wind upon the bow is particularly important in going alongside a dock. Destroyers of this class had a large after dead-wood, which resulted in greater steadiness of sea route but produced an excessively large turning circle, the tactical diameter being as great as one thousand yards with rudder angle of twenty degrees.

By the FY15 program, essentially a repeat Tucker, the Navy had triple mounts prepared, and put four of those on the Sampson class, to which Allen belonged. With its four 4" guns, two 1" pom-pom AA mounts, mine-laying capacity and endurance of some 2,500 miles at 20 knots, the new ships were superior to any destroyer then in use in the world.

When the United States entered the war in April 1917 there was already significant anxiety about a potential submarine threat off the East Coast. Further exacerbating this concern was the Navy's relative lack of first-line destroyers - approximately 50 in mid-1917 - and the decision to send most of those to Europe. A massive building program was already underway - it would lead to the eventual construction of 273 four-stack, "flush-deck" destroyers by 1921 - but for the rest of 1917, only two Sampson-class and the first three of the Caldwell class would be commissioned, and the need to escort troop convoys to France took top priority.

During the Great War the USS Sampson was engaged in the important, exacting and hazardous duty of patrolling the waters infested iuty ritb with enemy submarines and mines, in escorting and protecting vitally important convoys of troops and supplies through these waters, and in offensive and defensive action, vigorously and unremittingly prosecuted against all forms of enemy naval activity.

When a destroyer sighted a submarine, she would steam at full speed towards the point where it was seen, or as near to such a position as could be determined, and the "cans" would be dropped. When they were first used, and during 1917, it was the custom to drop only two or three and some very excellent results were obtained notably the sinking of a submarine by the "Fanning" and the injuring of a submarine by the "Christabel." But though submarines had been sunk and injured in this way, a few of the authorities, and Admiral Sims in particular, advocated a change in tactics. Admiral Sims rightly believed that the greater the number of depth charges dropped, the better the chances of success. He also believed that the occurrence of many severe explosions would tend to frighten the crew of a submarine, and demoralize them.

According to this new method, fifteen or twenty, or sometimes as many as thirty depth charges were dropped at the slighest provocation. Dropping them was easy enough the question was where to drop them. A submarine sighted at a given point, would be able to move only a certain distance within a given time in other words, it would be inside a circle, the size of which would be determined by the length of time intervening between the sighting of the submarine and the arrival of the destroyer at the point where it was seen. As the speed of a submerged U-boat was known, it could be calculated within what area it must be. When the destroyer arrived at the position where the submarine was seen, she would commence to drop depth charges in a circle having a radius in proportion to the time consumed in describing it.

In dropping these charges the destroyer was confronted with the problem as to the depth at which they should be set to explode. Some submarines submerged to thirty feet when attacked, others to 200, and the destroyer's officer had no means of knowing which. It was anybody's guess. In spite of the best possible mathematical and scientific calculations hundreds of depth charges were dropped without results, except for the usual oil and bubbles which meant nothing, and the nerve racking explosions which the submarine crews experienced.


Assista o vídeo: Navy Racks - USS Sampson